segunda-feira, outubro 10, 2005

ao percorreres essa Cidade

sabe que oiço sinto os passos
e que te adivinho os hábitos
ou o modo como seguras o cigarro
enquanto esperas.

fumamos do mesmo modo
- como quem espera

eternamente.

3 comentários:

nocturnidade disse...

este texto fala-me ao ouvido

Tiago Tejo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Tiago Tejo disse...

Tenho pena de quem não fume e ao não fumar não tire o total prazer destes versos.

É em pedaços destes que se encontra a compensação das consequências do prejudicial hábito do tabaco.

Faz-se hora de novo cigarro.
Abraços.