quinta-feira, dezembro 08, 2005

(dos amigos. para os amigos)

- Outro dia vi-te.
- Eu também…


(silêncio)

- E… como estás?
- Diz-me tu.

(ambos descem os olhos; respiram fundo… e tossem gravemente)

- Estás doente?
- E tu?
- E não somos todos?
- Queres falar?
- Até falava se o nó não apertasse tanto.
- Entendo.

(os olhos encontram-se novamente e sorriem)

- Obrigada por me ouvires.
- Mas tu não falaste…
- Tu sabes.
- Sei.

(despedem-se com um par de beijos e aos ouvidos trocam algumas palavras)

- Sente o céu a quebrar.
-“O mundo é apenas uma bola sem sentido suspensa no vazio.”

(cada um segue o macadame negro da calçada enquanto vão julgando guardar o maior segredo de todos e que nunca fez questão de se esconder dos olhos de ninguém. o mundo.)

1 comentário:

JoãoSilveira disse...

um beijo, Poetisa*