sábado, junho 23, 2007

a redenção de sofia

vê como chora a puta com a espingarda na boca
como cerra os dentes de ouro contra o soalho
vê como se iluminam as mãos nesse momento
e a ternura se acende no interior dos ossos.


como se entrelaçam os rios e imploram
a lascívia e o fracasso
[a cabeça esmagada entre os joelhos]


cláudia ferreira

6 comentários:

M.R. disse...

É um retorno à nossa casa.

*

nocturnidade disse...

assim espero minha querida :) *

Paulo Ribeiro disse...

Bela forma de regressar!

lena disse...

encanta-me ler-te doce menina Poeta


um abraço carinhoso e um beijinho meu

lena

nocturnidade disse...

obrigada Lena,

leio-te *

Remo Saraiva disse...

Nossa!! Lebra muito um poema meu ("Linda Lovelace entra na máfia").
Muito bem escrito!!
Gostei!

Abs,
REMO.