quinta-feira, agosto 02, 2007

Presente do indicativo

tenho um coração escuro onde plantar
uma árvore de fios de nylon.
tenho olhos com os quais posso ver
e sentir e chorar e morrer lentamente.
tenho mãos gastas com que compôr
teias de aranha de tamanhos e sabores diversos.
tenho um corpo que se arrasta e sobrevive
e se rodeia de luzes apagadas, vidas vegetais.

3 comentários:

nocturnidade disse...

tão bom :) *

Joanne disse...

muito bom mesmo*

luso poemas disse...

venham participar em www.luso-poemas.net

:)