terça-feira, maio 09, 2006

Explícito

não há muito que te pertença aqui nos destroços das palavras
que conseguiste arrancar do meu corpo
ficaram as nódoas do sangue inextinguível
por entre as camadas de pele
ficaram os ossos no mesmo sítio
apesar do ruído dos mesmos a estalar ter ensurdecido um par de ouvidos

na verdade, não há nada que te pertença nestes centímetros de carne
além dos destroços das palavras

e

das marcas dos dentes incisivos na parte de dentro dos pulsos

nunca te contaram a história da evolução e do progresso, pois não?

repara: uma linha permite-nos evoluir mas um círculo não

da próxima, alimenta-te de forma linear

9 comentários:

Dalila disse...

E esse círculo faz com que tudo fique sempre na mesma.
E, quando assim é, não vale sequer a pena.
Ficam os que evoluem seguindo essa linha.

colher de chá disse...

muito bom! muito bom

mylostwords disse...

Obrigada...

Unattached disse...

Está muito lindo mesmo. :)



ps: Fechaste o da blogdrive? nao tenho conseguido ir lá...

mylostwords disse...

: ) Obrigada...

Não, o blogdrive é que esteve cerca de dois dias sem deixar ninguém (ou praticamente ninguém) aceder aos blogs.

Agora já dá de novo.

delusions disse...

"da próxima, alimenta-te de forma linear"

está espectacular.bjs fica bem*

Celso disse...

esplêndido texto! gostaria da tua permissão para lê-lo em um sarau aqui em Natal/RN/BR.
como devo citar-te?

saudações efusivas

Anónimo disse...

02 anos em círculo, a mesma dor, nova e última decepção, sigo a reta da vida, agora em sentido unico, nem aqui eu voltarei...

firmina12 disse...

há aqui pano para mangas
voltarei e sempre com frio